O momento atual do gerenciamento de projetos

O momento atual do gerenciamento de projetos

Muito tenho sido questionada sobre o momento por que passa o gerenciamento de projetos no Brasil, que é bem diferente do que acompanho nos projetos em outros países, especialmente nos Estados Unidos e Europa, onde depois do Brasil é onde tenho maior interação com projetos.

No Brasil hoje por falta de um conhecimento mais aprofundado tanto pelas organizações como principalmente pelos seus gestores, em todos os níveis, sobre o que é realmente a gestão de projetos, programas e portfólios, além da não valorização e o uso não adequado das boas práticas e metodologias desenvolvidas por entidades como PMI®, AXELOS (PRINCE2®), IPMA®, SRUM e outras, passamos por um momento delicado em que a real contribuição do gerenciamento de projetos para o sucesso dos projetos tem sido colocada em check.

O gerenciamento de projetos difere da operação contínua, seja ela de sustentação ou produção, não só por ser uma atividade temporária, mas principalmente por ter o desafio de entregar produtos ou serviços novos, sejam eles inovadores ou não, de forma a ajudar as organizações a realizarem seus planos estratégicos.

Gerenciar projetos é uma prática que exige domínio em diferentes áreas do conhecimento humano, e por ser uma prática está diretamente ligada à experiência e educação continuada.

Ser certificado por uma ou mais das certificações existentes é um diferencial que ajuda na hora de uma concorrência a mostrar que o gerente de projetos minimamente conhece a teoria e a sua aplicação, mas para saber se é um gerente de projetos eficaz é necessário conhecer o histórico dos projetos que realizou, e isso se faz mais pelas pessoas com que trabalhou, pelos cases e consulta aos antigos gestores, do que pelo CV e entrevista, e ainda assim só irá aumentar as chances de sucesso nos próximos projetos, mas não irá garantir este sucesso, pois cada projeto é único e dependendo do ambiente em que será realizado e do projeto em si, sua área e complexidade, um gerente de projeto que já obteve muitos sucessos anteriores poderá ou não ter sucesso.

Como mostrado acima, definir se um desafio deve ou não ser tratado como projeto e, contratar um gerente de projetos adequado, não são tarefas fáceis nem simples, para tanto as organizações e seus selecionadores devem se apoiar em ferramentas de decisão com qualidade, que é uma evolução da análise/engenharia de valor, mantendo matrizes e outras ferramentas de decisão adequadas para avaliar e aumentar suas chances de sucesso.

Não se pode contratar um gerente de projetos menos experiente, que as empresas classificam como júnior, mesmo que este tenha alguma certificação esperando que ele tenha o mesmo desempenho de um gerente mais experiente com um histórico consistente de sucessos em projetos semelhantes.

Um dos grandes problemas em tempo de crise financeira está no valor que as organizações estão dispostas a desembolsar para a realização dos projetos, isso inclui o quanto querem pagar pelo gerenciamento do projeto, que deixa de ser visto como investimento e passa a ser visto como despesa, contratando profissionais mais baratos para economizar, o que é um grande engano, pois o prejuízo final pelo atraso ou insucesso de um projeto pode ser bem maior, isso é o que tem sido estatisticamente mostrado ao longo do tempo por muitos institutos de pesquisa.

Esta reflexão nos leva a algumas conclusões, a primeira delas é que os gerentes de projetos para terem sucesso em suas carreiras devem investir em educação continuada e utilizar as lições aprendidas dos projetos para se aprimorarem cada vez mais, a segunda se refere às organizações, seus gestores e recrutadores, que precisam entender mais profundamente o gerenciamento de projetos e usarem ferramentas adequadas para selecionarem os projetos a serem realizados e os gerentes de projetos para os mesmos, desta forma estaremos todos colaborando para o crescimento não só do gerenciamento de projetos, mas para o crescimento das organizações e seu negócio como um todo.